quinta-feira, 24 de junho de 2010

Situações - No ônibus - Parte II

Quem pega ônibus de manhã vê algumas coisas engraçadas e sofre com outras. Algo engraçado? Alguém que cochila e perde a parada(é engraçado sim, desde que não seja com você). Sofrimento? Como explicar aquele cara(ou pior, aquela mulher) que as 6 da manhã tá com aquela suvaqueira desgraçada? Imagina quando ele(a) voltar as 18hrs, eu que não quero estar perto dele(a).

Como nem tudo são flores em nossas vidas, por ironia do destino nós temos que pegar outro ônibus as 18hrs. Você toma seu banho, passa seu perfume, seu desodorante pra se preparar pra mais um dia(noite) de aula. Eis que você, nos seus 1,90m de altura, tem que entrar em uma "van" de 1,75m pra poder chegar ao seu destino. "Van" essa que tem capacidade pra 15 pessoas sentadas e(deveriam ser) 5 em pé e que tem também a capacidade de desafiar as leis da física, principalmente aquela que diz respeito a dois corpos não ocuparem o mesmo lugar no espaço.

Lembra aqueles minigames que a gente comprava que vinham com 999 jogos que na verdade era o mesmo(tetris)? Pois é, é quase a mesma coisa - Você encaixa sua perna em uma extremidade, um braço segura a mochila em cima, sua cabeça tem que ficar pendendo em um ângulo de 90º enquanto você tenta se segurar com o outro braço pra não ser jogado em direção as outras 400 pessoas dentro da van. Isso sem mencionar que o braço do seu "companheiro" ao lado está levantado e sua cara se situa na axila do sujeito que trabalhou o dia todo. E você se pergunta "será se isso pega?". Adivinha! De acordo com as leis de murphy sim, isso pega e você vai ficar sentindo aquele cheiro de cebola cozida o resto da noite e pensando que é em você. "Maldito ônibus, maldita axila, maldita aula, maldito dia que minha namorada resolve viajar, pois só ela podia melhorar meu dia".

Nenhum comentário:

Postar um comentário